À Raphaela!

Nessa época de quarentena devido a pandemia do Covid-19, enquanto ando sem fazer um sexo, vou relatar um dos mais excitante acontecimentos que já vivenciei esses anos.

Me chamo E., sou tecnólogo em Meio Ambiente, na época do ocorrido tinha 19 anos, sou negro, era solteiro e tinha um físico mediano de atleta com 1,75m.

Já havia se passado um longo tempo sem ficar com nenhuma garota devido a carga horária puxada do curso. Resolvi baixar um aplicativo de relacionamento desses famosinhos de hoje em dia e procurar na região de São Luís – MA.

Passou-se uns dias e deu match em uma mulher bastante atraente. Ela se chamava Raphaella, 25 aninhos e tinha um corpo escultural de paralisar por onde passava por ser baixinha de 1,60m, mas de seios e bumbum volumoso.

Conversamos por uns dias e ela se mostrava uma mulher tímida ainda por ter saído de um recente casamento abusivo.

Em um passeio pelo Centro Historico da cidade, degustamos de um vinho numa escadaria e isso despertou nela uma excitação onde já vinha com um olhar mais sedutor e não perdi tempo em convidá-la para um local com menos fluxo de pessoas e com pouca luz.

Coloquei ela na parede e fui cheirando seu perfume que estava no seu pescoço e isso à deixou bastante molhada. Os beijos lento dela, foi deixando tudo bastante sensual com a mão em sua nuca enquanto pressionava seus seios durinhos ao meu corpo. Detalhe, ela estava sem sutiã e deu para mamar bem gostoso, passando a língua quentinha ao redor do biquinho enquanto preparava o outro, apertando e escutando sussurros não muito alto devido ao perigo do local público. Ela já sabia como comandar um novinho bem alegre e nesses beijos, ela já vinha desabotoando minha bermuda, deixando o meu pau duro de 16cm à mostra. Ela olhava de forma sexy para ele e começava a morder os lábios e em seguida começou à me chamar de safado, que eu séria seu desejo secreto, e perguntou se eu iria ficar caladinho se ela fizesse um boquetinho ali mesmo. Concordei sem pensar duas vezes e ela experiente olhou para os lados e como não passava ninguém no momento, ela começou deslizando a língua quentinha no meu pau que estava pingando. Babou ele todinho e focou e deslizar a ponta da língua na cabeça com vontade enquanto eu apalpava um dos seios com a mão e a outra eu segurava seus longos cabelos. Aquela situação de ser pego no flaga a qualquer momento, causa uma sensação de prazer enorme e e eu estava preste a gozar quando ela percebeu e foi se levantando, me beijou bem gostoso e depois falou que o leitinho ficaria para outro dia, me deixando ali mesmo de pau duro vendo ela indo embora rebolando …
Passamos a noite sem se falar e isso me causou uma certa angustia até o amanhecer, pensando ter feito algo mais além do combinado.
Por volta das 10h00 ela me manda mensagem perguntando se eu estava afim de almoçar e claro que eu aceitei ir em sua casa, afinal, ela estaria sozinha.

Chegando ao local de sua residência, ela me apresentou sua modesta casa e eu me dirigir ao toalhete para tomar um banho. Ao sair, me deparo com a mesa do almoço já pronta ela me olhando de cima até em baixo com uma carinha meiga de felicidade.

Certo tempo após o descanso e de damos umas risadas de algumas situações atuais, ela passa a mão na minha perna e com um tom de mistério, ela diz que quer me dar um presentio em off … E ao chegar em seu quarto, ela me empurra em sua cama e começa a tirar minha bermuda enquanto me beija bem gostoso. Suas mãos delicadas massagea meu membros tão gostoso de arrancar suspiros. Ela segue beijando meu peitoral até meu pau, onde vai colocando a boquinha até base me olhando e subindo lentamente batendo uma. Eu já quase gozando, puxei de leve pelos cabelos para um beijo e chegou a minha vez de mostrar que também sei tirar fôlego de mulher mal comida. Fui tirando seu shortinho e fiquei massageando seus pés e beijando os mesmo, liberando uma excitação gostosa que só aumentava com os beijinhos que iria subindo sua perna até sua virilha, onde passei minha língua com vontade e deixando ela molhadinha. Afastei sua calcinha para lado e fui deslizando os dedinhos no lábios da sua buceta de forma sincronizada até colocar um dedinho em formato de G, alcançando seus pontos mais excitantes ouvido seus gemidos e suspiros. E para não perder o clima, eu rasguei sua calcinha e fui caindo de linguinha bem quentinha acima do clitóris e nos da buceta enquanto um dedinho socava ela rapidinho. Essa sensação causou um misto grande de prazer ela teve um orgasmo na minha boca, me marcando com seu mel. Nessa hora só fui para cima dela e aos beijos intenso, meu pau foi encostando na sua bucetinha e roçando bem gostoso sem camisinha. Entrei no seu jogo deixei meu membro ir deslizando buceta molhada a dentro e tirava, repetindo várias vezes enquanto ela implorava para colocar com força e chupando seus peitos volumosos.

Com a camisinha devidamente colocada, fui na posição de frango assado e comecei à empurrar meu pau com força enquanto apertava seu pescoço. Essa sensação de dominada, levou para o segundo orgasmo mais intenso. Botei ela de quatro e comecei a encaixar na buceta bem forte enquanto puxava seu cabelo. A bucetinha começou a ficar vermelha com os tapas bem firme que eu dava naquela bunda branquinha. Seus gemidos me deixou sem controle e eu gozei na PPK da putiane e mandei ela tirar a camisinha e deixar bem limpinho com a boquinha.

Já no banho com ela, minha mãos deslizando em seu corpo, despentou mais desejo e ali mesmo peguei ela no colo e botei para sentar sobre a pia e comecei a fuder aquela bucetinha com bastante gosto de ver ela tendo espasmo e os olhos revirando. Peguei ela no colo e formos fudendo até a cama onde à botei para vim por cima, cavalgando bem selvagem enquanto com uma mão eu passava sobre seu seio e a outra sobre seu pescoço.
– Mais que rebolado gostoso puta, seu jeito único vai me fazer gozar.
– Seus puto, gosto de acabar com novinhos cheio de gás. Meu ex marido não merecia a mulher que tinha. Vou sentar na sua cara vai beber meu leitinho todinho.

Ela esfregou a sua buceta no meu rosto e gozou bastante na minha boca. Como bom moço, bebi tudo vendo ela se contorcendo de prazer.
Botei ela de ladinho, com uma mão na sua buceta batendo uma siririca e outra no pescoço, fui empurrando bem devagar em seu cuzinho apertado e seguimos transando como dois apaixonado, com mais romance … Gozei bem gostoso dentro do seu cuzinho e ela tirou o pau de dentro e passou a língua até limpar todinho e em seguida pegamos no sono por uma hora até eu me espantar e ver que estava encima da hora de seguir para a faculdade a noite.

Uma pena que só tivemos àquela transa e não passou mais disso até perdemos contato com o tempo.

Deixarei meu e-mail para contato, caso queira dar elogios, trocar experiências e até fazer amizades:
[email protected]}

Leia mais contos eroticos quarentena

Compartilhe com seus amigos:

Deixe uma resposta