Irmãzinha de consideração.

Chamo-me Victor, tenho 18 anos, moreno, cabelo longo e corpo normal. O fato que irei narrar ocorreu há algumas semanas.

Fiz uma confraternização no dia de meu aniversário de 18 anos, convidei apenas meus amigos mais próximos, cerca de seis convidados. Entre esses convidados estava minha doce irmãzinha (somos irmãos de consideração apenas). Beatriz é uma menina linda,18 aninhos, cabelo médio e liso, parda, usa óculos, seios pequenos e bumbum de tamanho médio, uma delícia em minha opinião.

Eu ela sempre tivemos uma relação “colorida”, nos pegávamos sempre que nos sentíamos carentes, mas não passava de beijos e uns bons boquetes que ela me fazia continuamente.

Não vou me prolongar contando detalhes da festa, ao contrário, vou direto ao ponto. Nesse dia após todos os convidados terem ido embora, exceto ela, decidimos ir para o quarto se pegar um pouco e assim fizemos. Beijávamos intensamente, com direito a mão boba e tudo.

Logo ela se ajoelhou e disse:

-Vou te dar um presente delicioso irmãozinho- disse abaixando minha bermuda e pegando no meu pau.
Ela começou a chupar minhas bolas, subindo para meu pau e enfiando ele inteiro na boca, sempre me olhando e babando bastante. Ela ficou uns 15 minutos ali me chupando, até que parou, levantou, puxou as duas alças do vestido e deixou o vestido cair e se deitou na cama.
-Está na hora de retribuir todos os boquetes que já te fiz irmãozinho- disse tirando a calcinha e abrindo as pernas.
Era uma bucetinha linda e lisinha. Não pensei duas vezes e caí de boca, chupei aquela xaninha deliciosa, enquanto ela gemia alto, até ela gozar na minha boca aquele delicioso mel.
-Vem foder sua irmãzinha vem- me chamou ficando de quatro e olhando pra trás com uma carinha safada- quero que foda meu cuzinho.
Lubrifiquei o cuzinho dela com saliva, era um furinho lisinho e apertadinho. Coloquei meu pau na entradinha e empurrei devagar enquanto ela virava os olhos e gemia. Quando meu pau entrou tudo ela gemeu mais alto. Era apertadinho, sentia meu pau desbravando ela.
-Mete no meu cuzinho irmãozinho- falou meiga.
Comecei a estocar leve e fui aumentando a velocidade. Metendo com força agora ela gemia alto e pedia pra eu continuar.
-Ai meu cuzinho maninho, está arrombando ele- gritou entre gemidos- bate na sua maninha bate! Faz dela sua putinha agora.
Eu metia e batia nela com força até que ela gozou e eu enchi o cuzinho dela de porra.
-Que leitinho quentinho no meu rabinho maninho.
Demos uma pausa e quando me recuperei ela ficou de quatro de novo e pediu pra eu foder a bucetinha dela agora.
-Fode minha bucetinha, guardei meu cabacinho pra você- disse com cara safada- bem apertadinha, vem arrombar sua maninha.
Enfiei meu pau devagar, ela estava bem molhada então deslizou tranquilamente pra dentro, era bem apertada mesmo, sentia meu pau arrombando aquele buraquinho. Comecei a meter com força nela e ela urrava com um pouco de dor e prazer.
-Arromba minha xaninha vai.
Meti até ela gozar mais uma vez, tirei o pau da xaninha dela e coloquei-a de joelhos.
– Enche minha cara de porra- disse ela de joelhos.
Gozei muito, enchi todo o rostinho dela com meu leite. Ela sorria e passava a mão se limpando e colocando na boca e engolindo, fez isso até se limpar por inteira.
Tomamos um banho juntos e dormimos conchinha.
Foi melhor aniversário da minha vida, nunca vou esquecer…

2 comentários em “Irmãzinha de consideração.”

  1. Me chamo Leo e amo contos de incesto, acho uma delícia e não tenho preconceitos nessa prática, gostaria de conversar com pessoas de forma aberta e respeitosa sobre o assunto, expor vontades, fetiches e desejos, seja lá qual for. meu e-mail [email protected]

Deixe uma resposta