Debutei a novinha no motel transando sem camisinha e simulando que estava engravidando-a…

Oi, vou contar uma tara que eu realizei a uns meses atras, antes do inicio da pandemia da COVID-19.

Me chamo Roberto, tenho 38 anos, casado com 3 filhos pequenos, fisicamente tenho 1,80 altura, 86 kg, olhos e cabelos castanhos claros e pele branca.

Eu sempre usei alguns meios da internet para tropeçar em mulheres que tivessem o mesmo objetivo meu, que era um papo que poderia ter como consequencia sexo. É algo bem dificil de se encontrar.

Até o inicio do ano passado eu só buscava mulheres maduras, da minha faixa de idade, e mulheres novinhas não me chamavam atenção e aconteceu de eu fazer cirurgia de vasectomia para ficar infertil, e minhas taras e desejos mudaram… começei a ter vontade de transar com uma novinha (entenda como entre 18 e 25 anos).

Começei a minha busca, e depois de muitos contatos frustrados, conheci a Pamela no Rando Chat. Ela tinha 17 anos, e faria 18 em fevereiro; ela tem 1.71 de altura e 69 kilos, distribuídos em 58 cm de circunferência de coxa, 104 cm de quadril, 74 cm de cintura e 99cm de busto.

um corpo bem brasileiro com muitas curvas; cabelos estão na altura do sutiã;sardenta, lábios carnudos, cílios imensos, olhos grandes e nariz pequeno.

Ela tinha entrado no app por curiosidade, depois de acabar de terminar um namoro de 1 ano, iniciamos o papo, eramos da mesma cidade.

Procurei primeiro fazer com que ela tivesse confiança em mim, para que pudessemos falar de assuntos intimos, trocas de esperiencias e conhecimentos, e conversando durante alguns dias, fomos falando sobre sexo, desejos e taras.

Ela era meio puritana, pois questionava o fato de eu ser casado, e de trair minha esposa, mas eu sempre falava se isso a incomodava, e ela dizia como se fossemos apenas amigos. Não forçava a barra e sempre acredito que o que tiver que acontecer, acontecerá.

Um dia notei ela mudada, mais desinibida no papo, e ela me perguntou se por uma hipotese nos encontrassemos, o que eu faria com ela.

Eu então confessei a ela o meu maior desejo: debutar uma novinha no motel e transar sem camisinha e encher a bucetinha de porra. Notei que ela ficou bem timida… e disse q seria bem perigoso e arriscado fazer isso… ela seria perfeita pois nunca fora num motel.

Chegando o aniversario dela…. ela voltou com o tema que eu tinha falado… e ela me questionava… se eu faria isso mesmo com ela, e eu dizia q sim, que eu queria ela totalmente submissa a mim.

Ela então me disse se poderiamos marcar numa sexta de manhã num motel em SP (seu aniversario foi na quinta-feira). Marcamos e ela pediu mesmo uma suite simples, pq a principio ela queria com preservativo. Ela nunca transou sem camisinha.

Na sexta-feira então, dei um perdido no trabalho e fui no local combinado e ela esta lá… de vestido florido branco e azul.. ela estava radiante… entrou no meu carro e fomos ao motel.

Entrando na suite, começamos a conversar:
Pam – Vc é mesmo operado?
Eu – Sim!
Pam – Digo…de vc não poder me engravidar…
Eu – Exatamente… não quero po-la em risco…
Pam – Tem como me provar?
Eu – Aqui está o espermograma (entreguei a ela).
Ela começou a ler e dava umas desviadas nos olhos dando aquele sorriso de safada…
Ai veio ela me dizendo:
Pam – É o seguinte… se o que este exame diz ser verdade, vc não pode me engravidar… tem uma coisa pra te mostrar…

Ela então me mostra em teu celular um app de tabelinha, me mostrando que naquele dia ela estava ovulando. Confesso que me deu muito tesão e preocupação ao mesmo tempo.

Pamela virou e me falou: – quero aproveitar e ver como é a sensação de alguem que quer engravidar…. quero simular que vc vai fazer um filho em mim…. Eu topei..

Assim que deixei o celular na cabeceira da cama, estavamos de pé, começamos a nos beijar bem gostoso… pude sentir aqueles labios e lingua docinhos dela… e então começei a explorar todo o corpo dela com a minha boca (ela ainda de pé)…

Tirei as alças e o vestido caiu e vi um belo corpo… seios firmes sem sutia e ela não usava calcinha…

Fui beijando seus ombros, braços, seios, barriga, coxas…até chegar em tua linda bucetinha lisinha, onde começei a chupa-lo bem gostoso…. notava a satisfação dela com seus gemidinhos curtos…

Me levantei, voltei em seus labios e então começei a me despir e foi ela que começou a me explorar com seus beijos, lambidas… até chegar no meu pau e começar a chupa-lo…

Pedi a ela que se levantasse e encostei-a na parede… suas costas na parede…
Começei então a beija-la e em paralelo ficava pincelando o meu pau na bucetinha dela… que estava bem meladinha…. e então iniciei as estocadas nela, pegando a coxa direita dela com minha mão esquerda e pude penetra-la.

Que delicia!!!

Depois de um tempo então nessa posição… pedi para ela ir a cama e pude deleitar com aquela visão… ela todinha para mim….

Fomos para um papai e mamaê e alternando com o franga assado… e conforme ia metendo nela… ela ia ficando mais ousada… e ficava me dizendo coisas excitantes… e devolvia a ela com xingamentos…

Para ela então gozar…. peguei ela de 4 e fui estocando ela até a hora que notei o corpo dela se contorcendo, seus gemidos ofegantes e sua bucetinha em contração… acabara de gozar maravilhosamente…

Dai ela ficou enlouquecida:
– Goza meu macho, encha a minha bucetinha de leitinho, que eu estou no cio, engravida essa puta vai, quero seu leitinho escorrendo na minhas coxas…. fiquei enlouquecido e então gozei bem fundo nela.

Ficamos uns 2 minutos ainda se curtindo até eu tirar meu pau melado de dentro dela e ela colocar os dedos na tua xana e ver meu semen escorrendo e caindo nos lençois. Com o leitinho que estava nos teus dedos, ela lambeu olhando-me com aquela cara safada…

Conversamos por um tempo e então recomeçamos… sempre fazendo e finalizando em posições diferentes…

Consegui satisfaze-la em 4x…. todas as metidas na bucetinha dela… e sempre ela pedindo para engravida-la….

Naquele dia eu só queria sua bucetinha mesmo… satisfazer a minha tara de gozar numa bucetinha fertil e tapear o ovulo (ela não engravidou mesmo).
Tomamos banho juntos… e ela queria então marcar outro encontro comigo… agora para que eu gozasse na sua boquinha….e que eu também enchesse o cuzinho dela de porra (ela nunca tinha feito anal).

Saimos da suite e deixei ela na casa dela…. demos um beijo longo e demorado.. como um casal de namorados… e então fui para o meu trabalho.
Depois desse encontro, continuamos nossas conversas, e tinhamos planos para os proximos encontros…. mas dai apareceu a Pandemia…

Desde então continuamos nossas conversas… esperando a COVID passar para então possuir seu lindo cuzinho…e novamente a sua xaninha… preferencialmente quando ela estiver fertil novamente…
Quando acontecer… vou-lhes contar tudinho…

Leia mais contos eroticos com novinhas

Compartilhe com seus amigos:

Deixe uma resposta